28.4.09

Poço Sem Fundo

A noite cai, tudo escurece
O dia nasce e tudo permanece
A escuridão permanece em mim
Sem nunca levantar o véu

Angústia, tristeza, saudade
Não me livro destas emoções
Não me encontro a mim mesma
Sou mais um corpo no mundo
Mais um que por aqui ainda

Falta uma luz, uma clareza
Que me guie neste túnel sem fim,
Me ajude a evitar os acidentes
E não me deixe cair ainda mais fundo

Mas não adianta ter a luz
O poço continua a crescer, a ficar mais fundo
E sem amparo continuo a cair
A cair que nem uma flecha
A cair como um corpo pesado
Sem nunca embater no duro
Sempre a piorar a cada segundo

Inato a mim, parte do meu ser
Não prendo ninguém à minha pessoa
Mas prendo-me a muitos
Razão pela qual o poço cresce
Cresce sem parar e escurece num duro pensar
Preciso de voltar, de esquecer, de mudar…
Preciso de voar


(15 de Fevereiro de 2008, MK)

No comments:

Post a Comment